Cirurgia Ortognática

Equilíbrio facial

As deformidades faciais, ou seja, a falta de equilíbrio na face, podem acarretar diversos problemas funcionais e estéticos.
Nossos profissionais atuam para garantir que os pacientes encontrem a melhor solução para os seus problemas.
O principal tratamento para essa situação é a cirurgia ortognática, que proporciona os seguintes benefícios, em três níveis:

  • Funcionais: melhora da mordida (oclusão), da fala, da respiração e estabilidade das ATM’s;
  • Estéticos: maior equilíbrio e harmonia da face;
  • Psicológicos: recupera a autoestima, proporcionando mais qualidade de vida
    Indicada para pacientes com desarmonia entre os maxilares, problemas de apneia do sono, alterações faciais pós-traumáticas e deformidades causadas por patologias articulares.

Técnica minimamente invasiva

A equipe da Neo Face realiza a cirurgia ortognática minimamente invasiva, com menores incisões, menos descolamento de tecidos moles e cortes ósseos (osteotomias) mais conservadores. Assim, proporcionamos uma recuperação mais rápida dos pacientes, com redução de dores e edemas, retorno precoce da parestesia (falta de sensibilidade), diminuição de fibrose e, consequentemente, maior mobilidade dos tecidos ao redor da boca.

Sobre a Cirurgia

Um minucioso planejamento possibilita um procedimento cirúrgico com mais rapidez, segurança e previsibilidade, com a padronização de toda a sequência cirúrgica em ambiente virtual. Utilizamos uma metodologia extremamente precisa, que ajuda não só o cirurgião na execução do procedimento, mas também o paciente, pois permite entender e vislumbrar os resultados a serem alcançados, através de determinados exames complementares e equipamentos específicos.

A Neo Face possui completa estrutura e expertise necessárias para a realização do planejamento virtual na própria clínica. Realizamos a captação de fotos padronizadas em nosso estúdio fotográfico, o escaneamento das arcadas dentárias, a manipulação de softwares específicos para a confecção dos guias cirúrgicos em impressoras 3D, que são utilizados na cirurgia, reproduzindo exatamente aquilo que foi planejado de forma virtual.

Tipos mais comuns de deformidades dentofaciais

As deformidades dentofaciais foram classificadas de acordo com padrões, levando em consideração diversos fatores:

Deformidade facial padrão Classe II

Deformidade facial padrão Classe II

Tem como principais características a mandíbula pequena, queixo para trás, oclusão com mordida profunda, respiração bucal, dificuldade de mastigação e altura da face diminuída. Dores e/ou estalos e/ou ruídos nas articulações temporomandibulares são comuns.

Deformidade facial padrão Classe III

Deformidade facial padrão Classe III

No padrão Classe III observamos como características a mandíbula grande, queixo para frente e a altura da face pode estar aumentada. As dificuldades resultantes estão na mastigação e na habilidade em pronunciar algumas palavras por alteração do posicionamento lingual. O paciente pode apresentar dores e/ou estalos e/ou ruídos nas articulações temporomandibulares.

Excesso vertical da face com ou sem mordida aberta anterior

Excesso vertical da face com ou sem mordida aberta anterior

Visualmente, o aspecto facial é alongado e, frequentemente, mostra os dentes de forma acentuada e também muita quantidade de gengiva com os lábios em repouso e ao sorrir (sorriso gengival). Isso causa ao paciente a incapacidade de fechar os lábios espontaneamente, dificuldade ou deficiência respiratória, ronco ou síndrome da apneia obstrutiva do sono (SAOS).

Assimetrias faciais

Assimetrias faciais

As assimetrias faciais tem como principais características a mandíbula e o queixo tortos, a linha média desviada e a maxila torta. As consequências são a dificuldade de mastigação e deglutição, mordida cruzada posterior e anterior, além de poder apresentar dores e/ou estalos e/ou ruídos nas articulações temporomandibulares.

Atresia transversal da maxila – Mordida cruzada

Atresia transversal da maxila – Mordida cruzada

A mordida cruzada pode ser posterior uni ou bilateral. Ela tem como característica o palato ogival (profundo) e traz dificuldade na respiração nasal, apresentando respiração bucal e, em muitos casos, o ronco noturno.

Ainda tem dúvidas?